Fechar
Pesquise no conteúdo

Medula Óssea – Por que é importante doar?

Data: 06/10/2017

  • Medula Óssea – Por que é importante doar?

O que é a medula óssea?

“A medula óssea é o órgão do corpo humano responsável por produzir as células do sangue: hemácias, leucócitos e plaquetas. Quando uma pessoa tem alguma doença que afete a medula, como a leucemia, por exemplo, existe a necessidade de fazer um tratamento para substituir a medula doente por uma nova e saudável”, explica a oncologista e hematologista Juliana Souza Lima, do Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba (IHOC).

 

Como é feita a doação de medula óssea?

O procedimento do transplante é simples – não requer cirurgia. “É igual a uma transfusão de sangue. A infusão da nova medula é feita por meio e uma punção venosa, exatamente como a transfusão. E as células do corpo humano têm a capacidade de se instalarem no local certo. Dessa forma, começam a produzir sangue novamente, sem a doença. Essa nova medula também tem a capacidade de evitar que a antiga medula doente volte a funcionar, evitando que doenças como leucemia retornem após o transplante”, esclarece a médica. A preparação mais complexa vem antes da punção: o receptor da nova medula realiza uma quimioterapia de alta intensidade, que irá destruir todas as células doentes. “Após a quimioterapia a medula perde a capacidade de se replicar novamente, e, no lugar dessa medula doente, nós oferecemos a nova e saudável medula óssea do doador”.

Depois da infusão da nova medula, o paciente deve permanecer internado por cerca de quatro semanas, para que o órgão volte a funcionar e para evitar riscos de infecção, anemia grave e sangramentos. “Após esse período inicial, geralmente o paciente recebe alta hospitalar, mas mantém necessidade de acompanhamento ambulatorial por um longo período”, salienta a oncologista.

 

Por que é difícil o uso da medula óssea?

O uso da medula óssea depende da compatibilidade imunológica entre indivíduos ou do Antígeno Leucocitário Humano – HLA (complexo imunológico responsável por reconhecer as células do nosso organismo e ajudar a combater elementos estranhos quando necessário), que não é só genética e, “é necessária assim como em outros tipos de transplante de órgãos, não depende apenas do tipo sanguíneo”. “A compatibilidade HLA é muito mais frequente entre familiares, principalmente irmãos de mesmo pai e mãe. Porém, a chance de um familiar ser compatível gira em torno de 25% a 30%. Esse é o motivo pelo qual, diversas vezes, existe a necessidade de se procurar um doador fora do eixo familiar”, ressalta a médica do IHOC.

É por isso que se torna necessário um elevado número de doadores cadastrados, porque a possibilidade de se encontrar um doador compatível é de 1 X 100 mil, então quanto maior o universo de doadores, maiores as chances de se encontrar um.

 

Como se coleta a medula óssea?

Existem duas maneiras possíveis para a coleta de medula óssea:

1- Coleta células da própria medula óssea por punções aspirativas de osso da bacia, com o doador submetido à anestesia geral.

2- Coleta células do sangue usando uma máquina especial, chamada de aférese. Neste caso, não há a necessidade de anestesia ou internação hospitalar, somente o uso de medicamento injetável que estimula as células a migrarem da medula óssea para o sangue.

 

Quem pode doar:

Qualquer pessoa saudável e com idade entre 18 e 55 anos pode se candidatar à doação de medula óssea.

Em Cruz Alta, você pode fazer seu cadastro de Doador de Medula Óssea no Hemocentro Regional de Cruz Alta de segunda a sexta, das 7h30 às 11h30, portando documento de identidade e número do CPF.

Fonte: https://www.greenme.com.br/viver/saude-e-bem-estar/4033-medula-ossea-como-e-porque-doar

Ver todas as notícias

Confira outras notícias