Fechar
Pesquise no conteúdo

Tratamento por Ondas de Choque – Shock Wave

Data: 23/05/2016

  • Tratamento por Ondas de Choque – Shock Wave
  • Tratamento por Ondas de Choque – Shock Wave
  • Tratamento por Ondas de Choque – Shock Wave

 Em breve o Hospital Santa Lúcia estará contando com mais um serviço para melhor atender seus pacientes, o Tratamento por Ondas de Choque – Shock Wave, junto ao CDI, tendo como Responsável Técnico o Fisioterapeuta Eduardo Maurente, CREFITO 9661-F

O Tratamento Por Ondas de Choque é uma nova modalidade de tratamento para os pacientes com problemas de tendinites e calcificações crônicas, que vem sendo usado na Europa e nos EUA com índice de cura de 80 a 85% dos casos.

O tratamento é realizado por profissional treinado e capacitado para a execução do procedimento, em seções que são realizadas de uma à três aplicações, com tempo médio de 15 à 20 minutos, conforme protocolo de tratamento, com intervalo de uma semana. Após a aplicação o paciente pode voltar às suas atividades normais.

Entre os benefícios do tratamento estão o custo/efetividade, solução não invasiva e indolor. Não necessita anestesia, sendo que somente a área focada receberá a ação das ondas de choque e não apresenta efeitos secundários.


A técnica é indicada para os seguintes tratamentos:

·         Tratamento do tigger points, também chamados pontos de gatilhos;

·         Calcificações periarticulares dos ombros (tendinite calcárea) ou tendinite de ombro e bursites;

·         Lesões musculares, tratamento do lifedema e rigidez pós AVC;

·         Dor após sobrecarga no joelho (joelho de saltador);

·         Calcificação do tendão do ombro (ombro doloroso);

·         Epicondilite lateral umeral (cotovelo de tenista);

·         Epicondilite medial umeral (cotovelo de golfista);

·         Tendinopatia patelar;

·         Aquilodínea e síndrome tibial anterior;

·         Tendinite aquiliana;

·         Pseudo artrose;

·         Esporão de calcâneo;

·         Fascite plantar;

·         Bursite troncatérica;

·         Retardo na consolidação de fraturas;

·         Lesões musculares entre outras.

Ver todas as notícias

Confira outras notícias