Fechar
Pesquise no conteúdo

Como lidar com a enxaqueca?

Data: 29/03/2018

  • Como lidar com a enxaqueca?

Qual é a causa da enxaqueca?

A Enxaqueca é causada por um desequilíbrio neuroquímico envolvendo uma série de substâncias produzidas pelas células nervosas (neurônios), denominadas neurotransmissores, e seus receptores. Neurotransmissores são substâncias fabricadas pelos neurônios e, como o próprio nome indica, servem para transmitir informações entre os neurônios. Um dos mais conhecidos e estudados desses neurotransmissores se chama serotonina.  Pessoas portadoras desse desequilíbrio nesse sistema de neurotransmissores e receptores ficam predispostas a vários sintomas. A dor de cabeça é apenas um deles. Esses sintomas podem surgir mediante uma infinidade de fatores desencadeantes, que para outras pessoas não desencadeariam dor. Podem também surgir na ausência de qualquer fator desencadeante aparente.

Como exemplos desses desencadeantes, podemos enumerar o stress, certos alimentos, ficar muito tempo sem comer, dormir durante o dia, acordar mais tarde que o usual, menstruação, enfim, qualquer saída da rotina pode desencadear uma crise. Até mesmo saídas boas da rotina, como a prática de um esporte para alguém que não estava habituado.

Lembre-se: tais estímulos são fatores desencadeantes e não causas, dos sintomas. A causa é o desequilíbrio no sistema mencionado acima. Este desequilíbrio é o resultado de uma predisposição genética que se manifesta, ou não, mediante fatores ambientais e comportamentais. Daí a importância dos nossos hábitos e estilo de vida: sono, alimentação, movimento e emoções.

Qual o tratamento da enxaqueca?

Embora a medicina não ofereça a cura da enxaqueca, ela tem tratamento.

O controle da enxaqueca é obtido através do tratamento preventivo. Este tratamento possui várias frentes, é multidisciplinar, portanto envolve tanto remédios quanto não remédios. Por não remédios entendem-se importantes mudanças de hábito que você irá aprender e implementar (comece bem, lendo este livro!). Sem essas mudanças de hábito bem orientadas, assimiladas e colocadas em prática para o resto da vida, o tratamento com certeza não será satisfatório a longo prazo.

O tratamento preventivo não é com analgésicos, mas serve para disfarçar o fato que existe um desequilíbrio neuroquímico. Em outras palavras, serve para minimizar a frequência, intensidade e duração da dor de cabeça.

O tratamento preventivo pode ser realizado não necessariamente com drogas farmacêuticas. Remédios naturais, acupuntura e outros tratamentos não agressivos existem e podem ser eficazes.

O tratamento da enxaqueca não atua na causa.

Lembre-se: Como não tem cura, o tratamento preventivo, quando eficaz, funciona apenas como uma “muleta”, escondendo o problema. O objetivo do tratamento preventivo é espaçar as dores de cabeça e demais sintomas. Espera-se também, com o tratamento preventivo, tornar mais fácil e eficaz a resposta aos remédios para crise. É importante ter em mente que crises podem sobrevir, até mesmo na vigência do tratamento preventivo. E nessas horas, é preciso aplicar a melhor estratégia de tratamento para eliminar a dor o quanto antes. O trabalho do médico visa chegar ao mínimo possível de remédios que resulte no máximo de melhora.

Se o seu médico prescreveu remédios preventivos, nunca deixe esses remédios acabarem: volte para consulta antes! Às vezes, por motivos desconhecidos, estes remédios podem parar de fazer efeito, quando interrompidos e, logo após, retomados. É melhor não arriscar e seguir as orientações de seu médico. Não interrompa por conta própria um tratamento preventivo, caso pare de ter dor de cabeça. Deixe essa decisão para o médico tomar na hora certa.

Não há droga que não tenha efeitos colaterais: Todas as drogas farmacêuticas fazem bem de um lado e mal do outro. Toma-se esses remédios quando o mal do remédio é menor que o mal de não tomar o remédio!

Se você melhorou com o(s) remédio(s) preventivo(s), isso não quer dizer que não precisa comparecer periodicamente às consultas e retornos com seu médico. O monitoramento do tratamento é fundamental para a sua própria segurança.

E para tomar o quanto menos remédio, é preciso que a parte não-remédio do tratamento – uma série de ações, entre as quais, aquelas mudanças de hábito que dependem só de você – esteja sendo seguida!!

Sua dor é diária ou quase diária?

Pessoas com dores de cabeça diárias ou praticamente diárias, especialmente aquelas que utilizam analgésicos com cafeína diária ou quase diariamente, são submetidas a um pré-tratamento no sentido de cortar o ciclo diário de dor e a necessidade diária desses analgésicos. O motivo da necessidade desse pré-tratamento reside no fato que, na vigência do uso diário desses analgésicos, a maioria dos pacientes não responde ao tratamento preventivo. Este pré-tratamento varia de clínica para clínica e de caso para caso. Na Clínica Alexandre Feldman, ele quase sempre inclui acupuntura, administrada na Clínica (pois a técnica é variável para cada caso), durante 5 dias. Se for cortado com sucesso o ciclo diário, a dor volta a ser prevenível com o tratamento preventivo, desde que o paciente siga o tratamento corretamente no que diz respeito à alimentação, sono, gestão do movimento e das emoções.

Não se esqueça

Movimente-se diariamente. Movimento é parte do tratamento. Faça exercicios físicos diários. Se você está fora de forma ou com tanta dor a ponto de dificultar a prática de exercícios, inicie com uma caminhada diária de 10 minutos. A enxaqueca pode ser desencadeada por saídas da rotina, portanto faça, lenta e gradualmente, do exercício, uma rotina.

 

Beba água (pouca quantidade por vez, várias vezes ao dia).

Cuide de sua alimentação.

Valorize seu horário de sono.

Detecte suas fontes de stress, e procure contorná-las.

Durante as crises

É importante que você procure se afastar, o quanto antes daquilo que estiver fazendo, ao perceber o início de uma crise.

Procure, durante uma ou duas horas, isolar-se de ruídos e outras atividades. Utilize as técnicas de relaxamento que você aprendeu e treinou (não aprendeu ainda? Comece o quanto antes!).

Jamais tente “lutar contra” a crise. Pensamentos como “Por Que Eu?”, “De novo??“, “Eu não vou ter dor de cabeça!!” somente irão aumentar o stress e facilitar/intensificar a dor de cabeça e demais sintomas. Não “entre no jogo” da enxaqueca, ficando com raiva dela. Programe-se para relaxar.

Não ignore a dor de cabeça da enxaqueca, fingindo que ela não está “dando sinal”. Lembre-se que crises de enxaqueca, quando não abordadas no início, podem durar várias horas a dias apesar dos medicamentos. Esta simples dica pode abortar uma crise que duraria dias, em poucas horas.

20 dicas a serem seguidas  se você tem enxaqueca:

Procure não fumar ou ficar perto de quem fuma;

Evite o consumo diário de cafeína (café, refrigerantes, chás estimulantes, entre outros);

Beba água;

Não tome pílula anticoncepcional. Procure métodos sem hormônios;

Não faça reposição hormonal convencional;

Vá dormir mais cedo, e não pense que é o mesmo que acordar mais tarde;

Procure acordar todos os dias no mesmo horário;

Fuja do glutamato monossódico (ex: cubinhos de caldo de galinha e outros. Veja rótulos);

Exclua o leite de sua dieta;

Consuma derivados fermentados do leite, como iogurtes naturais, queijos e kefir;

Evite comer doces;

Evite o consumo de pães;

Evite o consumo de massas;

Coma comida de verdade, não processada industrialmente: carnes, ovos, peixes, arroz, feijão, salada, legumes, frutas frescas (mas não sucos), iogurte, queijos (sim, queijos! Você sempre ouviu falar que devem ser evitados, mas isso, quase sempre, não é verdade. Mais informações neste artigo), cogumelos, sal, pimenta, ervas, temperos naturais, raízes. Gengibre e chá de gengibre pode ser particularmente benéfico. Inspire-se com receitas do site da culinarista Pat Feldman.

Evite o consumo de produtos industrializados. Eles podem conter substâncias desencadeantes, como nitritos, sulfitos, etc;

Procure consumir carnes de animais criados soltos, à base de alimentação natural e não de ração exclusivamente. O mesmo vale para peixes.

Procure consumir ovos de galinhas criadas soltas, ciscando em pasto (galinhas caipiras) e não alimentadas exclusivamente de ração de milho/soja.

Se possível, compre frutas, verduras, legumes, sementes e grãos que tenham sido cultivados de maneira sustentável, de preferência sem (ou com o mínimo possível de) agrotóxicos.

Não falte às consultas com seu médico. Não deixe que seu remédio preventivo acabe sem antes consultá-lo. O monitoramento periódico é fundamental para a segurança e eficácia do seu tratamento. Jamais se automedique.

Fonte: http://www.enxaqueca.com.br/blog/enxaqueca-dicas/

Ver todas as notícias

Confira outras notícias