Fechar
Pesquise no conteúdo

Dia Mundial da Alimentação

Data: 16/10/2017

  • Dia Mundial da Alimentação

Anualmente, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) promove, no dia 16 de outubro, um debate para consciencializar a opinião pública sobre questões relativas à nutrição e à alimentação.

A cada ano, um tema diferente é adotado. A maioria deles gira em torno da agricultura, pois se acredita que os investimentos na agricultura - juntamente com o apoio à educação e à saúde - poderão conduzir à erradicação da fome e da má nutrição.

Em 2017, o tema é “Mudar o futuro da migração: investir em segurança alimentar e desenvolvimento rural”, tendo em vista que, somente em 2015, 65 milhões de pessoas tiveram que deixar seus lares no mundo todo devido a situações de conflitos internos, vulnerabilidade e diante de fenômenos ambientais provocados em grande parte pelas mudanças climáticas.

“Há poucos dias, a FAO constatou que a fome no mundo voltou a crescer depois de anos em constante queda. São 38 milhões de pessoas a mais e um total de 815 milhões. O crescimento desse índice pode estar associado às migrações que muitas vezes obrigam as pessoas a fugirem de seus países. Não podemos aceitar que os deslocamentos forçados gerem insegurança alimentar”, ressaltou o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic.

É importante notar também que cerca de 763 milhões de pessoas deslocam-se dentro dos seus próprios países, ou seja, uma acentuação, na maioria dos casos, de migrações dos meios rurais para os urbanos.

A FAO entende que criar condições que permitam às pessoas rurais, especialmente aos jovens, permanecerem nos seus territórios é um componente crucial de qualquer plano para enfrentar o desafio global da migração.

“A migração deve ser uma escolha, não uma necessidade. O investimento na agricultura, em particular na produção familiar e sustentável de alimentos e no desenvolvimento rural pode enfrentar as causas profundas da migração, incluindo a pobreza rural, a insegurança alimentar, a desigualdade, o desemprego, a falta de proteção social e o esgotamento dos recursos naturais devido à degradação ambiental e às mudanças climáticas”, diz Francisco Sarmento, Chefe do Escritório de Informação da FAO em Portugal.

 

Fontes:

https://nacoesunidas.org/garantir-seguranca-alimentar-requer-desenvolvimento-rural-sustentavel-e-gestao-das-migracoes/

https://www.agroportal.pt/seguranca-alimentar-e-desenvolvimento-rural-para-mudar-o-futuro-da-migracao/

Ver todas as notícias

Confira outras notícias